30/06/2014

A FEIURA DÓI?

   
   Toinzim Guela, o menino feio demais da conta sobre o qual escrevi noutro dia, cresceu. Virou moço forte, nutrido e fornido, mas a feiura era o seu desarranjo. Tabuí em peso olhava pro moço e ficava desanimada de ver tanta feiura. Chegou a um ponto que o Toinzim nem mais saía de casa para não ficar sem graça ante tanto susto que passava nas pessoas quando o encontravam na rua.
   Mais aí, eis que surge uma boate no Tapiraí. Dia da inauguração os amigos conseguiram fazer com que Toinzim Guela fosse conferir a novidade. Chegou naquele antro barulhento, com música de extremo mau gosto e não achou jeito de e nem com quem dançar um tiquim. Achou foi um encosto numa parede bolorenta e, dali, ficou apreciando o movimento.
   Depois de bem umas duas horas vendo quem dançava com quem, etc e tals, chega uma menina e puxa assunto com o moço. Toizim ficou até emocionado.
   - Tô venocê tão quetim aqui... Cada vorta codô no salão vejo quiocê mó que tá triste, cabrunhado?...
   - É sá... O trem tá danado. E sabe causdiquê? É qui sô feio demais da conta...
   - Ah, não, sô! Bobage!... Ficassim não...
   - Não, moça, sô feio mezz... Tenho que conformá... Cê num há de vê que nem namorada eu arrumo pur causa dessa droga de feiura? Tem base um trem desse?
   A moça não sabia o que falar, já que a feiura dele tava na cara. Mas, com dó do moço, pensou em mostrar-lhe que havia pessoas em situação pior. 
   - Ó, moço! Ficasssim não pois quiocê não é tão feio assim. Aqui, ó, diz que feio mezz, que chega dói, é um tar de Toizim Guela, lá do Tabuí!..
.
(Causo contado pelo amigo Antonio Israel de Oliveira, bambuiense que mora em Piumhi-MG)
©By Eurico de Andrade, in Tabuí e seus Causoshttps://www.facebook.com/causos e http://tabui.blogspot.com.br/
Postar um comentário