30/06/2014

O GAGO CUIDADOSO

   
Pleno sábado, por volta do meio dia, lá vai o trem de ferro, saindo da estação de Tabuí, carregado de passageiros. Ainda em pé, procurando um lugar pra se sentar, ia o Arcide. Preciso contar que o rapaz era gago. Muito gago mesmo.
   O Arcide arrumou lugar e sentou, ao lado de um nanico com um bigodinho ralo. E o tabuiense, embora gago, não tinha inibição. Foi logo perguntando, com vozeirão alto e grosso, ao companheiro de viagem:
   - Pra-pra-pra on-on-on dé-é-é co-co-co-co-cê-cê-cê va-va-va-vaiii, sssssôôô?
   Estranho o que aconteceu. E ninguém entendeu. O nanico nada respondia. O Arcide, depois de repetir a pergunta mais duas vezes, ficou foi bravo e falava cada vez mais alto na sua linguagem de gago.
   - Pra-pra-pra on-on-on-dé-é-é co-co-co-co cê-cê-cê va-va-va-vai, dis-dis-dis-gra-gra-gra-ça-ça-çaaaaa?
   O chefe do trem, aquele que confere as passagens de cada um, vendo o bafafá, resolve interferir:
   - Por que o senhor não responde o seu companhero de viage, ô moço?
   O moço perguntado, apenas deu de ombros. O chefe do trem continuou:
   - Já não basta ele ser gago? E o senhor fica com pocaso dele?
   Foi aí que o caladão de bigodinho ralo deu três tapas na perna como que para desatar o nó da fala, levantou e ficou bem perto do chefe, para responder:
   - Pó-po-po-ii-iii-is vo-vo-vo- cê-cê-cê q-q-q-que-que-riaria-ria q-q-que ê-ê-eu le-le-va-va-va-se-se-se u-u-u-uma es-es-es-ta-ta-ta-la-la-la-da-da-da n-n-n-na t-t-t-tro-trom-tromba-ba-ba?

(Causo contado pelo amigo Jose Monteiro, de Leira, em Portugal)
©By Eurico de Andrade, in Tabuí e seus Causoshttps://www.facebook.com/causos e http://tabui.blogspot.com.br/
Postar um comentário