22/11/2008

Tabuí pega em armas para salvar o Chile

Época de revolução no Chile. As notícias que chegavam pela televisão e pelo rádio eram nada animadoras. Pelos jornais idem. Allende estava sendo massacrado e suas forças debandando. Foi quando começou a reação em Tabuí. Aristeu, Cozinho, Xulapa e Delei, no boteco, tomavam umas e outras e quase choraram ao ver uma gravação em que o Allende fazia um manifesto à nação. Aí resolveram que eram comunistas e que iriam ajudar o companheiro Allende.
- Gente, isso num pode tá aconteceno! Tadim do home!...
- É memo, Xulapa! O quecagente faiz?
O Cozinho que, pela aparência, era o menos bêbado dos quatro, arremata:
- Acho mais mió a gente i socorrê o home, gente!
- Mas, como, Cozinho? Esse país fica lá onde o vento incosta o cisco, sô!
- A gente vamo no jipe do Delei, uai!
Arranjaram duas espingardas de carregar pela boca, uma garrucha e um revólver, emprestados - os dois últimos sem munição - e nem foram em casa para as despedidas da famiage. Só deixaram recado no bar dizendo que iam salvar o companheiro lá no Chile. E se mandaram de jipe, das alterosas da Emigê rumo aos Andes, para enfrentar o exército chileno e resgatar o Allende, já encurralado no palácio presidencial.
Rodaram bem umas duas léguas, com o jipe engasgando nas subidas, derramando óleo e com os pneus carecas, até que chegaram no Abacaxi e contaram pro Fiíco o motivo da viagem. Ganharam mais um companheiro que ainda chamou o Manqüeba, - grande caçador de tico-tico com espingarda de chumbinho -, para colaborar na perigosa missão e aumentar o poder de fogo do grupo.
- Confofô, ieu vô... - disse o Manqüeba, arrematando - e tem golo?
Quase escurecendo, resolveram, antes da partida para a guerra, como ninguém era de ferro e aproveitando a sugestão do Manqüeba, fazer uma despedida no bar do Bigode. Juntaram duas mesas e vai o Bigode descer cerveja e cachaça e a fritar frango e lambari que os seis entornavam e comiam num piscar d'olhos. Beberam tanto que, tarde da noite, nem conseguiram sair do bar. Aterrissaram por ali, bem trancados pelo Bigode com medo de lhe passarem a perna e preocupado porque não havia ainda recebido a conta.
Quando acordam pelo meio da manhã, com ressaca braba e gosto de guarda-chuva velho na boca, demoram a entender o que faziam naquele lugar estranho. Aí lembram da missão, com desânimo... Vão pra beira de um rádio Semp e ouvem que o Allende havia se suicidado, segundo a versão oficial.
- Pronto, gente! Meu Deus do céu! Acabô nossa viage! O home morreu porque a gente ficamo fazeno hora e num cheguemo a tempo... Mardita bebida! - choramingou o Delei, com enjôo e a cabeça estalando de dor.
- Ô disgraça! E ieu, doido pra sê herói, quinem o Lampião, sô! Agora num vai dá mais... – constatou o Aristeu.
Os quatro voltaram pra Tabuí a pé, - gastando meio dia de caminhada -, frustrados, revoltados, tristes e chorosos, convencidos de que, não fosse a festa de despedida, chegariam a tempo de salvar o companheiro Allende e não teriam ficado sem a condução, pois que tiveram que deixar o jipe do Delei como garantia de que um dia pagariam a conta do Bigode.
- Mardito Bigode! Além de num intendê de patriotismo, comete a desumanidade de deixá a gente a pé!... – Reclamava o Xulapa, enquanto mancava, estrada a fora.

21 comentários:

Anônimo disse...

Eurico, não podemos explicar, porque simplesmente eu não prestei a devida atenção e escrevi "errado", segundo as normas da língua padrão.

Obrigada, primeiro por ter dado atenção ao meu texto, pois me apontando o erro, percebi que você realmente leu, e segundo, por ter deixado o comentário, me dando a possibilidade de corrigir. Estou fazendo isso agora.

Abs
Raquel.
OBS. Caso ache mais alguma coisa, ficarei grata se me avisar.

Anônimo disse...

Você é bão di contá causo, hem, moço!

Pelo meio da história eu quase cheguei a acreditar que a "tropa" chegaria ao Chile e salvaria a pátria (chilena).

Ah, já que estou aqui, me diz uma coisa, o que estou fazendo de errado que não consigo linkar o seu blog.

Eu coloquei um link seu lá com o endereço certinho, mas quando clico aparece o seguinte endereço: http://tabui.blogspot.com/feeds/posts/default . E o pior é que isso não carrega de jeito maneira. Depois dá uma olhadinha e me diz o que estou fazendo de errado.

Abs
Raquel

Humberto disse...

Prezado Eurico,

Vivo na zona rural do "Deep South" americano ha muitos anos e tem sido um privilegio ler os "causos" aih dessa Tabuih (uma "Macondo" mineira, com certeza aas margens do Sorongo) em seu blog.

Dostoievski estava certo, nao ? "Cante a sua aldeia e estarah cantando o mundo !"

Entao, parabens pelo bonito trabalho que voceh tem desenvolvido, com talento e carinho pelas coisas da sua "aldeia" !

Felicidades !

Humberto
Goose Creek, South Carolina, USA

Eurico de Andrade disse...

Raquel,
Acho que um dos papéis dos seguidores é apontar falhas ou possíveis falhas, mal entendidos ou dúvidas para que tudo se esclareça. Como tive dúvidas, fui perguntar a quem entende do assunto: você. Com relação ao link de Tabuí, fui conferir e está certo no seu blog.

Eurico de Andrade disse...

Prezado Humberto,
Que prazer saber que vc daí de tão longe, anda lendo os causos da nossa terrinha! Me diz uma coisa: por aí também existe algum gênero parecido com os causos? Os americanos têm muito mais tradição e muito mais histórias pra contar que nós brasileiros. Por isso, acredito que devem ter algum gênero semelhante. E vc, quais os seus laços com nossa terra? É brasileiro? É mineiro?
Grande abraço.

Humberto disse...

Prezado Eurico,

Sou brasileiro sim. E, pena, nao sou mineiro. Me considero, entretanto, um "mineiro honorario", porque aprecio muitissimo as coisas dessa terra generosa.

Como gente eh gente em qualquer lugar do mundo, aqui tambem voceh pode encontrar muitos americanos interessados em estorias ou "causos", tal como aih no Brasil, principalmente em zonas rurais, tais como onde vivo.

Mas a minha percepcao eh que o pessoal daqui se leva demasiadamente a serio.

E, para falar a verdade, os "causos" do pessoal aqui carecem daquele "molho" que temos aih: a picardia bem humorada e o bom humor principalmente.

Leio os livros aqui e posso dizer que sao "sem sal", a despeito da linguagem coloquial e coisa e tal.

Claro que quem leu o Rosa, o Palmerio, o Nava e outros grandes, e captou um pouquinho do "espirito da terra mineira", vai achar o pessoal daqui absolutamente sem graca

Isto apesar do Edgar Allan Poe, o Nathaniel West e outros grandes.
Porque falta o tal do "molho".

"O quiabo na galinha caipira refogada", se eh que me faco entender: Falta o quiabo...

Bom, uma vez mais, parabens pelo seu bonito trabalho ! As suas novelas curtas que lih sao tambem muito boas (e nao somente os "causos").

Sou leitor atento de seus trabalhos e agradeco a oportunidade que voceh nos proporciona, partilhando-os conosco ! Obrigado, uma vez mais !

Humberto

Eurico de Andrade disse...

Caro Humberto,
Muito interessantes suas informações sobre o comportamento americano no que se refere ao humor deles. Os que conheço acho-os muito sisudos e, sinceramente, incapazes de entender o nosso humor meio bagunçado... Suas informações servem de ensinamento para nós. Espero que você continue a freqüentar Tabuí e a nos brindar com seus conhecimentos.
Abração.

Donizete disse...

Ou Eurico continua brilhante seus causos. Meu pai era mineiro de Cataguases, familiares de Juiz de Fora e região. Meu pai veio muito novo para o Paraná onde eu nasci e não conheço Minas.Más não falta oportunidades e logo conhecerei.

Te add. no technorati

Tem um Selo simpático no http://pescacomigo.blogspot.com

Um grande abraço...

Dalinha Catunda disse...

Olá Eurico,
Fui até o Nordeste mas já estou por aqui.

Li seu "causo" com atenção
e vou lhe dizer agora:
o que vale é a intenção
e não a ajuda na hora.
Se tudo saisse direito
era capaz desses sujeitos,
de Tabuí irem embora.

Um abraço,
Dalinha Catunda

Leila disse...

Nhô Eurico,

quero lhe dizer que pegarei em armas para defender minha canditura ao governo de Tabuí. O povo é sábio, repercute a voz de Deus e saberá escolher o melhor para si e para o município. Não tenho dúvidas.
Grande abraço ao amigo e aos comentaristas.
Estou viva, visse?
Adorei o causo. O do pinto já havia lido. Ambos são ótimos.

Eurico de Andrade disse...

Donizete,
Nâo deixe de conhecer a terra do seu pai. Vc vai amar. É terra boa demais da conta, sô, muito embora o Paraná não fica muito atrás.

Eurico de Andrade disse...

Dalinha,
Que coisa chic, sá! O Tabuí já está entrando nos seus pensamentos pra virar até poesia! Deixa o povim de lá saber, deixa! Vc vai virar tb candidata a prefeita!

Eurico de Andrade disse...

Leila,
Ainda bem que vc apareceu. Estava ficando preocupado pois a candidata mais conhecida pras própximas eleições sumiu! Fiquei até pensando se era causo de polícia, mas não! Antes da eleição normalmente candidato não tem problema com a polícia, né? É só depois.

Leila disse...

O problema é comigo mesma. A polícia não sabe de nada, acredite. Não deixo rastros...
Me preocupa neste momento é a quantidade de candidatas mulheres. Dalinha e Mirze são páreos duros, mas, pensando bem, não amedrontam: apavoram! rs
Estou disposta (???) a entrar nessa briga de Marias. Tudo por Tabuí!

Dalinha Catunda disse...

Leila se eu fosse você,
nem tentava me enfrentar.
Quando entro numa briga,
não entro para brincar.

Se a disputa for política,
vou logo é lhe avisar,
vá comprando um pinico
pois você vai precisar.

O culpado disso tudo,
é nosso amigo Eurico.
que agora deu pra querer
ver pegar fogo no circo.

Leila disse...

Dalinha, perco a eleição mas não perco a piada!
Vou pegar o pinico, não sem antes lhe avisar

CUIDADO DONA DALINHA,
NÃO SOU MULHER DE BRABEZA,
MAS, PELO SIM, PELO NÃO
DESDE A PIA BATISMAL
DESPREZEI A REALEZA,
BRIGUEI CONTRA PODEROSOS,
NADEI CONTRA A CORRENTEZA,
NÃO É DA HORA PRA OUTRA
QUE VOU DEMONSTRAR FRAQUEZA.

TENHO SANGUE BEDUÍNO,
MESCLADO COM CANGACEIRO;
OLHOS VERDES DE SERPENTE
NÃO MASTIGO, ENGULO INTEIRO
E ADEPOIS EU MOSTRO OS DENTES
PRO CONTRÁRIO, LIGEIRINHO,
SAIR CORRENDO SEM JEITO
E SÓ VOLTAR NOVAMENTE,
DEPOIS DO SUSTO REFEITO.

TIRE O CABELINHO DA CHUVA.
NESTA COISA DE PREFEITO,
QUEM MANDA NÃO É NHÔ EURICO:
É O POVO E, SENDO O POVO,
MEU NOME JÁ FOI ACEITO.
O RECADO INICIAL DO SEU POEMA, DALINHA,
VAI DE VOLTA PRA VOCÊ,
SEM TIRAR NENHUMA LINHA.

Eurico de Andrade disse...

Leila e Dalinha!
A briga tá ficando boa! Vamos botar fogo na fogueira, aliás, lenha na fogueira. Dessa briga vai sair um causo, a qualquer hora! Tá faltando a Mirze pra briga ficar melhor. Abração pras três.

Dalinha Catunda disse...

LEILA, TUDO É APENAS BRINCADEIRA. GOSTEI DA SUA REAÇÂO, POR ISSO RESOLVI RESPONDER, TAMBÉM GOSTEI DA BRINCADEIRA, DIFICIL ENCONTRAR PESSOAS INTELIGENTES QUE TOPEM UMA PARADA ASSIM. PARABÉNS PELO BOM HUMOR,

RESPOSTA DE DALINHA
Dois nomes de Santa me deram,
E os dois nomes reneguei.
Dalinha é o meu codinome,
E foi Dalinha que adotei.
Por ele sou bem conhecida
Não sou nada esmorecida
E sou um tanto fará da lei.

Meus olhos são cor de mel,
Dos teus são bem diferentes,
Me chamam de cascavel
Mas tenho dó da serpente
Não gasto veneno à toa,
Bote só dou numa boa
E sempre é pela frente.

Meu cabelo não tiro da chuva,
Porque não faço chapinha.
Se tem cabelos nas ventas
Eu também tenho nas minhas.
Se eu quero mesmo ser prefeita
Não vai ser qualquer sujeita,
Que vai me tirar da linha.

O que eu tinha de nobreza
Eu deixei lá no meu sertão.
Sou de uma nobre família
Pertenço ao clã dos Aragão
Mas ganhei o mundo sozinha,
Por isso só me assino Dalinha
E sobrenome não carece não.

Leila disse...

Oi, Dalinha

Tem que brincar mesmo, criar duelos imaginários, pintar o 7 e bordar o 8. É brincadeira, mas é sério. Como tal deveremos tratar o assunto de nossas candidaturas à governança de Tabuí.
Vamos ver se acho rima bem apropriada para este embate. Não tenho mesmo nada o que fazer nas madrugadas da vida, então... vamos pelejar?

Tá certo, Dona Dalinha,
Já conheço sua linhagem:
É do clã dos Aragão.
Eu não tive esta vantagem,
daí não usar mesuras
de citar antecedentes.
Sou sozinha neste mundo,
ando em busca de aventuras.
Tabuí é minha meta,
sendo prefeita ou não sendo,
é lá que quero morar
e que ninguém se intrometa
pra frear minhas loucuras.

Para lhe ser bem sincera,
Desculpe-me confessar:
No meio de suas rimas
Notei certa gabolice
Muito comum aos políticos
Que fazem qualquer negócio
Pra alcançar as mesmices.

Posso estar muito enganada
E vou logo adiantar
Se estiver, Deus já sabe
Retiro tudo que disse.
Nada porém vai impedir
Que altere os seus conceitos
E se torne um bom nome
Para cuidar com denodo
Dos interesses de gente
Que necessita de tudo,
Menos de grandes promessas.
Por esta e outras razões,
aceite a propositura
Fico cabeça de chapa
E você posa de vice.

Acho que é de bom tom
Reservar o lugar da Mirze.
Secretária de Cultura,
Assuntos Exteriores,
Educação, seja o que for,
Fazenda ou Planejamento.
Com essa composição
Ninguém sai no prejuízo.
Uma trinca de mulheres
De peso e comprometidas
Com o bem estar do povo
Não poderá, nem em sonho,
Abandonar o desejo
De nunca serem abatidas.

Creio, com a nossa aliança,
Com bom gerenciamento,
Chegaremos a um bom termo,
Cumpriremos a missão.
Mudaremos a idéia
Até hoje dominante
Que em política e futebol
Mulher não mete o bedelho.
Política não é só pra macho,
Isso é pura enganação.
Quem sabe, através de acertos,
Falando a mesma linguagem,
Um dia, não tão remoto,
cabras metidos a gostosos
Usarão seus aventais
E pilotarão fogão.

Com Leila, a prefeita doida,
Dalinha, a poeta vice,
Com Mirze a estrategista,
decididas e graciosas,
encararemos de frente
todo tipo de questão.
Tabuí, naturalmente,
Por muitos e muitos tempos
Agradecerá aos deuses
Essa feliz união.
Três mulheres de vergonha,
Com muito amor e ternura,
Fizeram a revolução.

Estou com idéia fixa
E ela não me faz mal.
Posso até perder o sono.
Isso é muito natural.
Farei todo o possível
E até o impossível
Pra fazer com que a cidade
Saia da invisibilidade
e passe a fazer bonito
no cenário mundial.

Você topa, Dalinha?



(Nhô Eurico, as vírgulas e os pontos ficam por conta. Nunca fui repentista, sabe?)

Mirse disse...

Esse causo é verdadeiro! O povo mineiro sempre foi politizado e atuante. Cheguei a achar que esles estavam certos! Maldito Bigode mesmo!

Ai Eurico, esse é meu cantinho da paz.

E eu me envolvo com os seus personagens.

Parabéns, Eurico!
Quase que salvaram o Allende!!!

Beijos, amigo

Mirze

Anônimo disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,