21/08/2014

O TRIPLO ENGANO


   

   Tavam lá, em plena praça de Tabuí, o Cirino e o Pichula. Já que não tinham o que fazer, apreciavam o movimento de uma ou outra bicicleta, de dois ou três transeuntes, e de uma moçoila por hora até que passa um mancebo estranho, com uma perna da calça amarrada acima da botina, manquitolando. Apressado, desconfiado, olhando pros lados, como quem não quer ser visto... E o Cirino e o Pichula, como sempre, afiando a língua.

   - Acho que aquelali caiu da égua, Cirino. Ô de argum boi... Óia como ele tá mancano... Ispia pocê vê!...
   O Cirino, como sempre, trolado, concordou descombinando.
   - É mezz, sô! Tá inté de dá dó. Mas carculo caquilo é paralisia... Mó quele tá cuma perna mais fina que a otra...
   - Paralisia? Rummm! Borá priguntá prele?
   Foram. Cirino quem fez a pergunta:
   - Causdiquê quiocê manca? Ieu falei pro meu amigo Pichula quiera paralisia e ele – esse daqui, ó - acha quiocê caiu da égua ô dum boi. Cê pode isclarecê pra nóis?
   O manqueba, parado que foi bem no meio da praça, não teve escapatória. Teve que dar o seu veredito:
   - Ocêis tão inganado e eu tamém singanei. Pensei que era só um punzinho e tô todo cagado...
©By Eurico de Andrade, in Tabuí e seus Causos https://www.facebook.com/causos e http://tabui.blogspot.com.br/
Postar um comentário