10/06/2014

O CORRETOR DE IMÓVEIS


    Certa quadra chegou a Tabuí um sujeito querendo comprar uma casa. O corretor, o Sô Quim, mostrou uma casa pra ele e começou a gavá. 
     - Ó, sô, a casa é boa demais da conta. E tem mais, aqui é lugá bão. Cidade boa, de muito pogresso. Povim mais mió num tem. Se o sinhô vinhé pra cá num se arrepende não. Aqui é lugá por demais assussegado. Pro sinhô tê uma ideia, aqui nem morrê o povo morre. Tem uns par de ano que num morre ninguém aqui. 
Nisso, o forasteiro olha pra baixo e avista um cortejo com carregamento de defunto, subindo a Rua do Assobio. Fica curioso ao verificar a contradição do Sô Quim e pergunta, na bucha:
- Uai, e aquele enterro lá? Quem que é?
Sô Quim não perdeu o rebolado. Rindo amarelo, gaguejando, levantou a cabeça e respondeu:
- Ô, sô!... Prestenção!... Putaquilamerda! Tadim! Aquilo é do dono da funerária!... Morreu de fome...
(Causo garimpado e contado pelo amigo Divino Martins, de Itapuranga-GO)

©By Eurico de Andrade, in Tabuí e seus Causos https://www.facebook.com/causos e http://tabui.blogspot.com.br/
Postar um comentário