16/06/2014

TINHA UM POSTE NO MEIO DA PRAÇA


   O gordo soldado Ananias, antes de fechar a cadeia bem tarde da noite, fazia sua ronda costumeira pela Praça da Matriz e por um ou dois botecos para ver se os bêbados de Tabuí estavam todos em paz. Foi assim que estranhou quando viu um bêbado trepado num poste cantando músicas de Chitãozinho e Xororó, no maior desafinamento da paróquia do Padre Anacleto.
   - Escuta, moço! O que ocê tá fazeno aí em cima do poste?
   - Sô sordado, to ispantano as mágoa, sô!
   - Ocê já tomou umas hoje, né? Bebeu muito?
   - Bebi, sô sordado... Bebi... E eu bebi causdiquê é líquido... Se num sesse, eu cumia!...
    - Ô sô! Cê tá fartano com o respeito! Desce daí!... Senão eu atiro nocê...
   - Faz isso não, otoridade! Faz isso não! Tô desceno...
   E desceu com certa dificuldade e com medo do soldado Ananias. Este, ao ver a situação do bebum, foi logo perguntando muito bravo:
   - Quem é ocê, sô! E causdiquê fica tirano o sossego do povo com essa latumia toda?
   O bêbado ia falar, mas engoliu a palavra. Pensou, pensou... Olhou pro soldado, olhou pro chão, encostou no poste e respondeu, antes de sair correndo:
   - Uai, sô sordado!... Cê já isqueceu? Sô aquele que tava ali inriba do poste gorica mezzz!...
©By Eurico de Andrade, in Tabuí e seus Causos https://www.facebook.com/causos e http://tabui.blogspot.com.br/
Postar um comentário