20/04/2014

SEMANA SANTA


           O Joaquim foi escalado pelo Padre Anacleto para fazer o papel do diabo na Semana Santa, lá no salão de festas da paróquia de Tabuí, onde um palco fora improvisado.    
      - Eu, o diabo, padre? Deus vai me castigá!
      - Porcamiseria, figlio mio! Castigaroquê? – Padre Anacleto ficava brabo quando contraditado.
     Na cena em que Joaquim trabalhava, ele entrava voando, num impulso dado por uma corda empurrada por um ajudante de palco. Quase na hora do espetáculo, Joaquim descobriu que o ajudante ficara doente e que fora substituído por outro paroquiano que nem participara do ensaio.
     - Seja o que Deus quisé, meu Deus! – Reclamava o Joaquim, vestido de capeta.
     Na hora da apresentação o paroquiano que substituíra o ajudante de palco, querendo mostrar serviço, exagera na força e joga o diabo muito acima do planejado. Quando o diabo sente a altura nunca atingida nos ensaios e analisa as consequências da queda, grita lá de cima, antes de se esborrachar no chão:
     - Me acode, Senhora da Aparecida!... 

    (Este causo me foi contado pelo amigo José Sallum, de Caxambu-MG)

Postar um comentário