26/05/2013

CRAVOS ZACARIA


Zacaria montou em Tabuí uma fabriqueta de cravos. Trem da melhor qualidade. Só que você talvez nem saiba o que é esse negócio. Cravo é um prego rústico, de tamanhos variados que, lá no interior, é usado para botar ferraduras em cavalos, montar as rodas dos carros de bois, pregar as dobradiças das porteiras e portas antigas, fixar os trilhos da linha de ferro nos dormentes e por aí a fora. O período mais famoso dos cravos foi no tempo dos romanos, quando eram usados para prender os crucificados à cruz.
Pois bem. Zacaria começou a fabricar os ditos cravos e logo tava vendendo pra toda a região. Aí, depois de ler uns manuais de publicidade, resolveu que era possível vender muito mais. Encomendou um cartaz grande, com o Cristo crucificado, que pregou num painel, bem à entrada da sua fabriqueta, onde se lia “Cravos Zacaria: dois mil anos de garantia”!
Padre Anacleto logo baixou na fábrica do Zacaria. Com o argumento de “questo non se faz, figlio mio”, convenceu o empresário a retirar a propaganda do cartaz. Zacaria obedeceu ao padre Anacleto. Mas como achava a ideia muito boa, resolveu insistir e mudou um pouquinho o projeto. Mandou fazer outro cartaz, com a cruz fincada e o Cristo ainda no chão. No cartaz escreveu: “Com Cravos Zacaria, Cristo não cairia”.

Nem um dia durou a propaganda e padre Anacleto baixou lá. Conversa vai, conversa vem, excomunhão daqui, excomunhão dali, Zacaria foi novamente convencido a retirar do cartaz a propaganda conforme estava. Mas era teimoso. Voltou à carga. Já que o vigário não queria a figura do Cristo envolvida, Zacaria mandou fazer um desenho apenas da cruz. E, embaixo, mandou escrever: “Com Cravos Zacaria, Cristo não fugia”.

(Baseado em texto da Internet)
Postar um comentário