02/05/2013

PROVIDÊNCIAS CASAMENTEIRAS



 O Crescinho ia casar com a Teodorica e estava preocupado.  Precisava ir a Tabuí conversar com o padre Anacleto sobre os últimos aprontos para o casório.
 - Figlio mio, o que você precisa?
 - Siguinte, sô vigaro. Vim sabê se piciso fazê mais arguma coisa, pra num dá rolo no dia do casóro.
 - Já foi no cartório, já arrumou a papelada?
 - Já fui e tá tudo prontinho.
 - E já correu o pregão?
 - Óia, sô padre, vô sê sincero co sinhô. E num tô mintino , não. O pregão inda num correu, não. Mais o dedão já. 

(Causo enviado por Joaquim da Silva Junior, de Carmo do Rio Claro-MG)
Postar um comentário