22/02/2013

A SOGRA RILIENTA





- Sô moço, preciso conferir seus documentos e os do carro. O senhor estava correndo demais da conta. O limite aqui é 80 por hora e o senhor vinha a 140...
Pelo modo de começar a falar, cêis viram que o policial era mineiro e, coisa rara, um policial polido.
O Goitatinga - pois que este era o nome do mineiro corredor – nem pensou duas vezes e já veio com o choro.
- Mas sô guarda, eu tava só nos 90, juro por Deus!...
Se o causo fosse só entre os dois, tudo bem. Mas tinha a sogra. Ah, a sogra!... Do banco detrás, o banco da sogra, ela chama a atenção do genro, bem assim pro policial ouvir:
- Quequiéisso, Goita! Cê tava correno a mais de 150, eu tava cuoio pregado no trem aí e vi tudo, sô!...
Goitatinga olha pra trás, puto da vida com a sogra. Mas engole o desaforo.
E o policial volta à carga:
- E sua lanterna direita num tá funcionando!...
- Minha lanterna? Eu nem sabia, sô policial! Deve tê pifado agora, na estrada.
A sogra não deixa por menos:
- Goita, deixa de sê mintiroso, home de Deus! Tem duas semana quiocê fala em consertá as lanterna do carro e nunca conserta!...
O genro, vermelho e com o coração acelerado, vira de novo pra sogra e faz sinal para ela fechar a matraca. E o policial ataca novamente:
- O senhor não sabe que tem que usar o cinto de segurança?
- Não sô guarda, aliás, sô policial! Eu tava com o cinto, uai! Só tirei pra mode pegá os documento no borso de trás!
- Goita, deixa disso, home! Nunca vi ocê usá o cinto. Ele, aí do seu lado, tá até dismantelado...
Quem disse isto? todo mundo sabe que foi a sogra.
Aí o Goitatinga não suportou mais e explodiu:
- Cala a boca, veia coroca mardita!...
O policial se assusta, arregala os olhos, enfia a cabeça pela janela, procura a sogra do Goita e diz educadamente:
- Ele sempre trata a senhora desta maneira?
-Não, sô polícia! Num é sempre não. É só quando toma umas!...
Postar um comentário