29/01/2013

O BOI SÓ PEGA QUANDO DEIXAM




- Compadre Nego, preciso falar com você!
- Uai, cumpade Antõe, intão vem cá, sô!
Esta era a conversa dos dois compadres, um da cidade e outro da roça, na hora em que o segundo tirava o leite da manhã da sua terceira vaquinha, num curralzinho improvisado de varas deitadas.
- Mas, compadre Nego, esse boi daí, da cara preta, não pega não?
- Pega nada, sô! É mansim!...
O seu Antonio, o da cidade, entra no curral, confiando na conversa do seu compadre e dá com os burros n’água. O boi da cara preta encara-o e avança firme. O Antonio, sebo nas canelas e, mais que depressa, pula a cerca de varas do curral. Enquanto isso o Compadre Nego continua, distraidamente, a ordenhar a vaca.
- Mas, compadre Nego, você não disse que o boi não pegava?
- Mas, cumpade Antõin, por acauso ele pegô?
Postar um comentário