20/07/2010

O FORA DE CIRINO

     Cirino tava pra lá de golado. Era noite de sábado e ele tomara todas a que tinha direito naquele dia e no anterior. Foi pro clube, o único da cidade, ver se tomava mais umas. No meio daquele povão, alguns chiques outros mais ou menos, tocam uma música. O baixinho resolve balançar o esqueleto e sai à cata dum rabo de saia. Primeira que encontra, sem nem olhar direito, faz o convite:
     Madama qué dá o prazê dessa dança?
     Não! Pro três motivos: primeiro, o senhor está bêbado. Segundo, esta música é o Hino Nacional. E, terceiro, madama é a sua mãe porque eu sou o vigário da cidade!...
Postar um comentário