Páginas

03/08/10

O CASO DA SAIA FLORIDA

     Lá no Tabuí, nos tempos de antigamente, morava Manuel Novato. Comerciava miudezas e outros trens. Recebeu o apelido de "Novato" por ser português. Naquele tempo era mania chamar os imigrantes lusos por esse apelido pelo interior a fora.
     Acontece que alguém adquirira na loja do Manuel Novato uma saia florida e mandou botar na conta. Só que, com tanto freguês para atender e tanta coisa a fazer, o patrício esqueceu-se do nome de quem tinha comprado a danada da saia florida. Desfilou a população do Tabuí na cabeça e não tinha como se lembrar.
     - No prejuízo não hei de ficaire, pois, pois!
     Depois de muito matutar, e como preocupação só não recebe dívida, bolou um plano. Lançou em todas as contas – pra mais de cem - a despesa da saia florida. Foi um chororô danado. Reclamações de todas as partes, a toda hora.
     - Mas, seu Novato, que diabo de saia florida é essa na minha conta? – indagava nervoso o padre Anacleto, que gostava mesmo era de uma batina.
     - Uai, portuga! Num comprei nenhuma saia frorida! Eu, heim!!!... – recriminava gaguejando o Cirino, já bêbado.
     - Acho que o senhor confundiu as contas. Esse diacho dessa saia florida!...
     -Tá me achano com cara de usá saia frorida, sô Novato? - Indagava o Antão, do alto dos seus setenta anos no costado.
     Cada um reclamava à sua maneira. Uns brigando, outros xingando, outros com humildade. E o portuga falando com seus botões:
     - No prejuízo não hei de ficaire, opá!
     Para não desagradar aos fregueses, ele sempre apresentava uma desculpa e acrescentava, após apagar a anotação na conta do freguês:
     - Queira me perdoaire, opá!
     No final das contas, como o Manuel Novato esperava, sobrou uma freguesa – dona Marília do Chiquito - que não reclamou e pagou a saia florida, livrando o português de um prejuízo quase certo.
     - Pois, pois, uai... Num falei?!!... Opá!...


6 comentários:

Jalul disse...

Sô, essa conversa de português obtuso é coisa de brasuca despeitado. Cumpadre Novato foi sagaz até demais, estou certa?
Olhe, pagaria 100 escudos para ver a cara do pobre do Anacleto ao receber a conta da saia colorida.

Anônimo disse...

Não é que até conheço essa Marília do Chiquito? Ainda bem que ela foi honesta!

MARILIA disse...

Excelente metodo p receber fiado....pena eu so conhecer esta tatica agora.....rs....
Ouvi falar q este episodio deu inicio ao Tabui Fashion Week!
Um abraço! Lila

Mirze Souza disse...

Coitado do padre Anacleto! Manuel podia ter livrado o padre.

Muito Bom, Eurico!

Abração

Mirze

maria idalina O. de A. Germann disse...

Viajar por Tabuí, através de seus causos, é sempre muito gostoso...

Abraço,
Idalina

Scritta disse...

Olá,
Anualmente a Scritta promove o Concurso Dia do Escritor. Estamos na 4ª edição.
O Concurso Dia do Escritor da Scritta trará como tema: “Será o fim dos tempos?” Já estão abertas as inscrições para o concurso.
Contamos com a sua colaboração para divulgar o concurso e, assim, descobrirmos juntos novos talentos literários do nosso país.
A Scritta criou um site específico para o concurso: http://www.diadoescritor.com.br
Sua parceria será de grande valia para o sucesso do concurso!
Sugestões ou críticas são bem-vindas.
Entre em contato conosco pelo e-mail: scritta@scrittaonline.com.br

Obrigada! :)

Atenciosamente,
Equipe Scritta