28/01/2013

CIDADÃO DE TABUÍ GANHA TROFÉU

    

Memê, quando mais novo - mesmo depois de casado - foi o terror das meninas de Tabuí. Deu bola, tava dentro. Mas com a passagem do tempo, foi ficando homem sério e dificilmente dava uma escapada. Até que, num dia - melhor dizendo - numa noite, entre a turma do copo, bem lá no Copo Sujo, Memê recebeu o Troféu do Homem Fiéu! O dono do Copo Sujo, quando falaram pra ele que fiéu tava errado, já tinha encomendado o troféu e ficou assim mesmo. “É bão que troféu rima com fiéu” né gente?.

Para ganhar tão importante prêmio, Memê inventou a frase mais bonita da noite “quero passá todos meus dia entre as perna da minha muié”. Frase pudica, comparada à vida pregressa do nosso herói. Mas foi com a frase, tão cheia de inspiração, que ele ganhou o prêmio. Ao chegar em casa, madrugadinha pispiando, deu a notícia para Miguelina.

- Parabém, Memê! E causdiquê quiocê ganhô esse trem?

- Uai, sá! Num é quieu fiz um brinde procê? Bem na horica de tomá a terceira dose da água que passarinho num bebe...

- E aí?

- Aí que, sabe a frase quieu inventei? Ó, “quero passá o resto da vida na igreja, junto ca minha santa muié".

A frase deixou a Miguelina emocionada. Ela quse chorou tão carente sempre de acarinhamento. Achou Memê homem tão carinhoso que quase tascou um beijo nele.

- Ô, Memê!... Que frase bonita, fio! Parabém dinovo procê, sô!

Naquela noite Memê recebeu até acarinhamento especial. Mas no dia seguinte... Ah, no dia seguinte!... A primeira pessoa que Miguelina encontrou, ao sair à rua, foi o Sudarim. Que logo entrou no assunto, pensando que a mulher do amigo tava mais por fora do que arco de barril.

- Cê sabe, Miguelina, que o brinde foi sobre ocê?

- Uai, sô!... Eu sei, Sudarim... Ele me falô mezzz e eu fiquei inté surpreendida e mocionada. Mas ocê sabe que ele não é muito chegado no assunto, num é mezzz? Desde cagente casô ele frequentô lá uma vez só...  E mesmo assim, sugigado, puxado pela zoreia mode entrá. Ele achou a coisa tão chata que caiu no sono inhantes da bença final.

Sudarim arregalou os olhos, coçou a cabeça e saiu correndo. Assustado e preocupado, foi atrás da turma do copo para informar-lhes da novidade, a tempo, talvez, de cassarem o troféu ganho tão democraticamente pelo Memê.


(Reescrito de um causo enviado pela amiga Hélvia Paranaguá, piauiense arretada, moradora de Brasília-DF)
Postar um comentário