06/06/2013

A MÁQUINA MILAGROSA

Gerardão sai lá de Tabuí para conhecer a capital junto com a mulher e mais dois filhos. Chegando a Belzonte, começam a passear pelo centro da cidade vendo aquela carraiada, os prédios grandes demais da conta, ruas entupidas de gente, muito vidro, muito poste e muita luz.
Numa certa hora Gerardão deixa a Zulmira descansando num banco de uma praça com o filho menor e sai apreciando mais coisas com o Zequinha, de 12 anos. Resolvem entrar num prédio pra conhecer o que tinha lá dentro daquele trem e ficam os dois espantados de ver tantas luzinhas piscando em volta de uma caixa grandona e queriam entender para que serviria aquilo. Era o elevador.
Enquanto tavam lá, embasbacados, chega uma velhinha loura manquitolando, com uma bengala.Entra na caixa e a porta se fecha atrás dela. Passam uns minutos a porta se abre e sai uma moça loira toda retumbante e, logicamente, sem bengala.
Gerardão não se conteve, deu uma piscadinha pro filho e, à boca pequena, falou:
- Zequinha, vai digero buscá sua mãe, fio!
Postar um comentário